Translate

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

O Porque desse Blog !!!

A ideia de fazer esse blog surgiu por ocasião do 45’ aniversário do Mainframe, ocorrida em 2009.

Na ocasião, me chamou atenção para a proximidade do 50’ aniversário do Mainframe coincidindo com os meus quase 35 anos de profissão, a maior parte dedicado a plataforma, e que seria uma excelente oportunidade de comemorar a data e deixar um legado como parte do meu agradecimento a esse que é o BENCHMARK da computação comercial e que me possibilitou conduzir uma carreira de relativo sucesso, com grande satisfação profissional e pessoal.


Um belo dia, cheguei em casa e comuniquei a ideia ao meu filho Breno, na ocasião com seis para sete anos, e ele logo se pôs a rascunhar a agenda do que seria o livro.

Ao longo do tempo, a ideia original de fazer um livro, por diversos motivos, se transformou nesse blog, que está estruturado de forma muito similar ao o que seria o livro, e esta sendo lançado como parte dos festejos de aniversário dos 50 anos de Mainframe e 35 (quase) de minha carreira.

Esse blog é o resultado de mais de quatro anos de pesquisas em bibliotecas IBM e sites, levantamento de documentos, conversas com vários profissionais do mercado e de editoração, planejamento e muita escrita.

Procurei colocar no blog um pouco de parte da história da IBM, a história , arquitetura e tecnologia do Mainframe desde o primeiro,  System/360 , até os mais atuais e também busquei depoimentos de pessoas representativas para esses assuntos, de modo a tornar o blog mais amplo e interessante.

No fundo, busquei fazer esse blog com a mesma idéia em mente que levou ao S/360, ou seja, um blog que veja o Mainframe em todos os seus aspectos, uma visão 360' do Mainframe.  Certamente a contribuição da comunidade será muito importante para atingir esse objetivo.

Como visão mais a longo prazo, gostaria que esse blog se perpetue por muito mais tempo do que apenas essa data comemorativa e que sirva de fonte de pesquisa e estudos para as novas gerações de estudantes e profissionais que buscarem material informativo sobre a plataforma Mainframe.  

Comecei a carreira de profissional de informática em 1982,  como estagiário da White Martins, no Rio de Janeiro, na época uma das mais avançadas empresas no uso da informática e que acabara de adquirir um Mainframe da família 4381 e começara o processo de migração de seus sistemas de uma máquina Borroughs para a máquina IBM. Aliás, nesse momento, várias grandes empresas no Brasil e no mundo passavam por esse processo de mudança de plataforma.

Quatro anos mais tarde, me mudei para Israel e rapidamente encontrei emprego como analista de suporte técnico de Mainframe.
Na época falava um pouco de hebraico e um ingles muito pobre, mas pude me virar muito bem no trabalho falando o inglês técnico e o ‘IBMes’, que na época funcionava como uma linguagem universal entre os profissionais da área.

De volta ao Brasil já no início de 1990, entrei para a ESSO Brasileira de Petroléo, mais uma vez graças a minha experiencia em Mainframe IBM.  Alguns anos depois me transferi para a IBM, após esta passar por uma reestruturação em seus quadros e precisava repor vagas abertas.

Nessa época, a relevância do Mainframe para as empresas havia mudado drasticamente, o processo de downsizing estava a pleno vapor, mas mesmo assim,  a própria IBM buscava profissionais no mercado com essa experiencia com o anseio de dar uma sobre-vida a plataforma.
.
Logo no início de minha carreira na IBM percebi que o mercado de Mainframe se corroía rapidamente e que não seria suficiente executar  unicamente as minhas tarefas profissionais, era necessário combater o downsizing, mobilizando os colegas para isso, organizando campanhas de marketing e de propaganda a favor da plataforma.

Rapidamente a minha carreira se transformou num misto de analista e evangelizador do Mainframe.  
E foi dessa forma que conduzi minha carreira ao longo de todos esses anos, uma parcela de profissionalismo e uma parcela de amadorismo para com a plataforma e não tenho a menor  dúvida em afirmar que se não fosse essa parcela de amadorismo e voluntarismo, minha e de mais alguns colegas que tiveram a mesma postura, no Brasil e ao redor do mundo, hoje não estaríamos aqui celebrando essa data e o Mainframe seria mais um capítulo da história passada da computação.

Entre os pontos de destaque no processo de elaboração do livro e depois do blog, menciono o encontro com Fred P. Brooks Jr, um dos três arquitetos chefes do projeto do S/360 e gerente durante todo o projeto.  Ele me passou muito material de apoio usado aqui e me deu algumas 'lições' sobre como foi o processo de desenvolvimento do projeto, o maior projeto da IBM , em todos os tempos, e um dos maiores, se não o maior, de todo os projetos do  mundo.  Maior do que o projeto Apolo e do desenvolvimento da Energia Nuclear, conforme afirmação da revista Fortune.

 Obrigado .